• Sophia Costa

QUAL A IMPORTÂNCIA DE UM PLANEJAMENTO DE VIAGEM?

Descubra porquê planejar a sua viagem, além de importante, é essencial.


Minha paixão por planejamento começou na faculdade. Sou formada em publicidade e hoje, já somo 7 anos trabalhando direta ou indiretamente com planejamento. Sendo assim, me considero uma planner. Não só no meio publicitário, mas na vida mesmo.


Gosto de dizer que uma viagem começa quando a gente coloca no papel, ou seja, quando começamos o planejamento. Quando eu comecei a viajar, descobri que, pra mim, a parte do planejamento era a mais legal de todas. Gostava de pensar em todos os detalhes, pesquisar tudo o que tinha pra fazer no lugar, organizar planilhas e orçamentos. Porém planejar uma viagem não significa saber exatamente o que você vai fazer no destino, já de antemão. Vai muito além disso.



POR QUE PLANEJAR?

A minha primeira resposta pra essa pergunta é: economizar. Somente pensando com uma certa antecedência no tipo de viagem que você quer fazer que é possível encontrar passagens baratas e destinos que cabem no seu orçamento.


Vocês sabiam, por exemplo, que existe uma data certa pra você comprar a sua passagem? E que essa data varia se a passagem for nacional ou internacional? Sabia que tem como viajar pela classe executiva pagando o mesmo valor de uma passagem da classe econômica? E tudo isso só é possível com um certo nível de planejamento. É também uma forma de se preparar para uma experiência.



PLANEJAMENTO NÃO É (SÓ) ROTEIRO

As pessoas confundem achando que planejar uma viagem significa saber o que você vai fazer em cada dia, quais os restaurantes vão comer e quais passeios vão fazer. Isso se chama roteiro e eu, particularmente, nem gosto de pensar em roteiros quando eu faço minhas viagens. Um roteiro faz parte de um planejamento? Sim, mas ele é apenas uma parte.


Planejamento é uma parte anterior ao roteiro. É pensar no destino, na hospedagem, na passagem, no planejamento financeiro. É entender o clima do lugar e descobrir qual a melhor época para ir, estabelecer a melhor rota, fazer várias simulações, pensar no tipo de mala, o que levar e encontrar um balanço entre o que você quer fazer e o que o seu orçamento te permite.


Envolve muita pesquisa e muita paciência e é exatamente por isso que tem gente que detesta essa parte do processo. E tem gente que simplesmente não tem tempo para toda a burocracia que envolve sentar e planejar uma viagem, seja ela curta, longa, sozinho ou em família.



PLANEJAR NÃO É ENGESSAR

Outra coisa que planejamento não significa: não significa que você vai ter toda a sua viagem cronometrada e que nada vai sair diferente do que está escrito. Não é pra isso que serve o planejamento. Hoje em dia temos vidas corridas, estressante, com horário pra tudo e sem tempo pra nós mesmos. O que acaba acontecendo, de forma inconsciente, é que transferimos toda essa correria e esse stress para as nossas viagens também. E aí temos aqueles roteiros em que a pessoa tem horário pré-estabelecido para tudo e se alguma coisa sai do planejado, é o fim do mundo. Eu, particularmente, acredito que viajar dessa forma é um certo desperdício.


Quando você viaja, as coisas não estão sob o seu controle. E quando você simplesmente aceita isso, você evita se estressar. Não dá pra gente controlar tudo ao nosso redor e se a gente simplesmente relaxar, a gente acaba se abrindo pra várias oportunidades (não planejadas) que vão surgindo no caminho.


Meu ponto é: planejar a viagem não significa ter controle sobre tudo o que vai acontecer. Significa se organizar de maneira correta para viver uma experiência que podem ser incríveis. Se você se permitir.


MEU ESTILO DE VIAGEM


Ao longo dos anos, eu fui mudando meu estilo de viagem. É normal! Por isso eu incentivo todo mundo a viajar, porque só existe um jeito de você descobrir qual é o seu estilo de viagem: viajando.


Se antes eu gostava de pensar em tudo, em atrações turísticas e separar os países por dia, hoje em dia eu gosto de um estilo de viagem mais livre, que me permite flexibilidade para ir tomando decisões ao longo do caminho. Planejo bastante antes: datas, clima, posição geográfica, possíveis deslocamentos, melhores valores de passagem e pronto. O que eu vou fazer no local, exatamente, eu deixo pra decidir quando eu chegar lá.


Claro que esse tipo de viagem mais livre só é possível se você tem flexibilidade de tempo e pode passar mais tempo viajando, como é o meu caso. Em casos de viagens rápidas, um roteiro é recomendável, mas sempre lembrando que a gente não tem como controlar todas as situações e sempre tentar se abrir para as possibilidades, mesmo quando algo “dá errado”.



PERSONAL TRAVEL

Depois de muitas viagens e de muitas pessoas me pedirem dicas de planejamento, descobri que eu gostaria de ajudar mais pessoas a viajarem. Existe um mito de que viajar é muito caro, de que viajar é algo destinado para pessoas que tem muito dinheiro e tendemos a acreditar nesse mito. As pessoas acabam pensando que ou 1) elas não vão viajar nunca ou 2) elas só vão poder viajar quando tiverem muito dinheiro.


Eu não sou rica (longe disso) e eu viajo. É possível viajar barato e é possível viajar sem gastar uma fortuna. E foi por isso que eu comecei a trabalhar como Personal Planner e criei o Pretas Pelo Mundo. Eu queria, além de inspirar as pessoas a viajarem mais, poder ajudar quem tivesse dificuldade com a parte burocrática e mais lenta do processo. E isso inclui pessoas que realmente não sabem por onde começar a planejar uma viagem ou pessoas que simplesmente não tem tempo (ou paciência).


Viajar não deveria ser considerado um artigo de luxo e eu tenho certeza que o mundo vai ser muito melhor se as pessoas começarem a viajar mais, a conhecer outras culturas, a se abrir para o desconhecido e superar medos. Quer viajar pelo mundo? O primeiro passo começa com o planejamento.


A Carol, do projeto Vira Volta, acredita, como eu, que viajar tem um poder transformador e escreveu um manifesto sobre viagens transformadoras. Ela falou algo que me tocou muito:

“Viajar com significado te tira da sua zona de conforto para fazer você experimentar o mundo das mais diferentes formas possíveis. Faz você conviver com outras culturas e costumes, conhecer pessoas incríveis, fazer coisas de uma forma diferente da sua rotina, viver coisas comuns como se fossem uma aventura, ouvir novas idéias de pessoas desconhecidas, apreciar os pequenos detalhes do dia-a-dia, vivenciar situações inesperadas, conhecer outros estilos de vida que você nem sabia que existiam, realizar coisas que você nem pensava que era capaz e ter tempo para simplesmente pensar, uma preciosidade no ritmo louco da vida de hoje.”

É isso, galera. Se vocês precisarem de mim, de uma ajuda, de um conselho, de um planejamento, é só chamar. Você me encontra no meu instagram também e pelo email pretasmundo@gmail.com.

E já sabe né? Dame la mano y vamos a darle la vuelta al mundo.


Beijos da Sô.

156 visualizações